202003.18
Off
0

Não é bem o que parece ser! – Falsos cognatos

Chegar na Itália e não falar uma palavra de italiano pode ser um desafio para aqueles que visitam ou chegam para morar de vez no país. Por serem línguas parecidas, nós brasileiros temos muita facilidade em entender, e a maioria das pessoas aprendem rapidamente o idioma. Porém, não se enganem: existem palavras iguais ou muito similares entre o português e italiano com significados diferentes e, como consequência propiciam uma grande pegadinha para aqueles que estão aprendendo.

Pegue seu caderninho e anote aí os falsos cognatos mais comuns:

Ciao — O nosso famoso ‘tchau’, escrito em italiano como ‘Ciao’, é utilizado aqui tanto para dizer “oi” como “tchau”

.Porém, atenção!! Ciao é uma saudação extremamente informal. Isso significa que não é adequado cumprimentar pessoas desconhecidas (e principalmente oficiais em órgão público) com um ‘simples’ Ciao.

Ai você pode perguntar: Então como devo cumprimentar formalmente uma pessoa de maneira formal na Itália? A resposta nos leva ao próximo falso cognato:

Salve — Calma! Ao pronunciar essa palavra você não estará salvando ninguém (😂). Apesar de parecer muito com a conjugação do verbo ‘Salvar’, agora sim estamos falamos de uma saudação formal. Ao entrar em algum estabelecimento público ou comercial, você pode dizer sem medo ‘- Salve!’, para a pessoa que te atende.

Lei — Não, não faz referência à legislação. Lei em italiano é o pronome pessoal equivalente ao nosso “ela”. Porém, quando você deve portar respeito à alguém (sempre naquela situação de falar com um funcionário público ou algum desconhecido) você não usa o “Tu”, mas sim o “Lei”, que nesse caso pode se referir a masculino ou feminino.

Prego — Essa palavra é muito comum no italiano, e possui inúmeros significados, menos o que significa pra gente em português.

Pode significar uma resposta para o obrigado (Grazie), ou seja, o equivalente ao nosso ‘de nada’Pode também significar o nosso “pois não?” quando falamos com um atendente ou garçom, ou ainda quando utilizado como “Ti prego”, seria o equivalente à “te peço/te imploro”. Quantos usos para uma palavra que em português só significa um pedaço de ferro, não é?

Palestra — Engana-se quem pensa que a palavra ‘Palestra’ significa uma aula/lição ou seminário. Errado! Aqui, palestra é o lugar de treino físico, ou seja, academia. Os italianos não vão para a academia malhar, vão para a palestra!

Asilo — Já sei… Aoo ler essa palavra, você já pensou naqueles velhinhos fofos que ficam nas casas de repouso, ou melhor, nos asilos. Béééééé… Pensou errado! Aqui na Itália os asilos são as creches para crianças pequenas que ainda não começaram o primeiro ano de escola.

Autista — Essa palavra é outro falso cognato. No italiano, autista é o motorista de ônibus. Isso mesmo, uma profissão! Já em português, a palavra é utilizada para se referir a um portador de autismo; No italiano dizemos autistico para este caso.

Deficiente — Literalmente falando, essa palavra tem o mesmo significado que em português, porém, jamais use essa palavra!!! Aqui na Itália ela tem uma conotação muito negativa e é usado como uma ofensa, a tradução correta da palavra “deficiente” é “disabile”.

Baratto — “Baratto” em italiano significa “troca (de mercadoria)”, palavra muito usada antigamente.

Esperto — “Esperto” em italiano significa ser “Expert” em algum assunto. Ou seja, alguém especialista.

Apesar de serem diversos falsos cognatos, sabemos que essas diferenças sempre existirão em qualquer outro idioma e é muito normal cometer esses pequenos errinhos durante o nosso aprendizado. Então, não se assuste! Aprender um novo idioma pode ser desafiador, mas com certeza é possível!

Para todos os clientes que chegam em Ragusa para o reconhecimento da cidadania italiana, a Rosso Passaporto oferece uma aula GRATUITA de italiano com professores nativos! Caso você queira aprender ainda mais, também oferecemos aulas particulares!

Sempre recomendamos que os clientes façam essa imersão cultural em todos os aspectos, inclusive no idioma. Afinal, qual o melhor país além da Itália para aprender o italiano?

Saiba mais enviando um email para info@rossopassaporto.com

Artigo realizado com a colaboração de Isabelle Garotti, formanda em Relações Públicas na Università di Udine.